Quantas vezes
é possível pegar

Covid-19

Dois anos e meio após o início da pandemia, o comportamento do vírus ainda é estudado e cercado de dúvidas. Uma delas é a quantidade de vezes que uma mesma pessoa pode pegar a doença.

Afinal, se fui infectado e me curei, estou livre da Covid-19?

A resposta é não.

Especialistas apontam que as infecções por novas variantes podem escapar da defesa garantida pelas vacinas e causar uma nova infecção. Isso não significa que
as vacinas não sejam eficazes.

NOVAS VARIANTES

De acordo com a epidemiologista Ethel Maciel, não há um limite para o número de infecções. Ela explica que a tendência é que a segunda infecção não seja causada pela mesma variante da primeira.

Segundo Ethel, cada vírus tem uma característica. A dengue, por exemplo, tem um número limitado de infecções, assim como a varíola dos macacos e o sarampo que, normalmente, são de infecção única.

Mas a Covid, assim como a gripe, não parece ter um limite. De acordo com a especialista, o intervalo entre duas infecções é de no mínimo quatro a seis meses.

Ainda não se pode dizer, também, se a Covid-19 terá aumento de casos em alguma época do ano, como é o caso da gripe que possui
o pico de infecções no inverno. 

SAZONALIDADE

Com um novo aumento recente de casos de Covid-19, o alerta sobre a importância da vacinação volta a crescer. O surgimento de novas variantes cria a necessidade de novas doses da vacina. 

VACINAÇÃO

Mesmo com a aplicação de duas ou três doses, o vírus pode sofrer uma mutação e ficar muito diferente do que era antes. A imunidade proveniente da vacina cai em cerca de seis meses após a aplicação.

Roteiro e Design: Artur Quintella
Texto: Redação de A Gazeta
Fonte: Ethel Maciel
Supervisão: Adriana Rios
Imagens: Freepik e
Fernando Madeira
Vídeos: Tenor

+ Bem-estar e saúde