estudo descobre
novo sinal da doença;
veja qual

 Alzheimer: 

Em tempos de Covid-19, a perda de olfato se tornou um alerta para diversas pessoas.

Porém, um novo estudo publicado na revista científica Alzheimer & Dementia mostra que continuar atento ao funcionamento do nariz pode ser uma boa ideia.

Isso porque pesquisadores da Universidade de Medicina de Chicago, nos Estados Unidos, identificaram que o declínio no olfato ao longo do tempo está ligado à perda cognitiva. 

O que significa uma probabilidade maior de diagnóstico da doença de Alzheimer e outros quadros de demência a longo prazo.

A descoberta foi baseada numa análise de 515 idosos, de, em média, 76 anos, por um período de, no máximo, 18 anos.

Os dados estavam disponíveis por meio de um projeto chamado Memória e Envelhecimento, conduzido pela Universidade de Rush, em 1997. 

Os cientistas perceberam uma rápida perda do olfato em pessoas que até então apresentavam uma cognição saudável, o que serviu para prever diversas características do Alzheimer.

O que inclui menor volume de massa cinzenta em áreas do cérebro associadas à memória, pior cognição e maior risco do quadro clínico de demência.

A incidência desse quadro entre aqueles que relataram a perda da capacidade de identificar odores chegou a ser quase o dobro que nos demais.

Segundo os cientistas, já era sabido que as proteínas ligadas à degeneração pelo Alzheimer apareciam em áreas olfativas e associadas à memória antes de se desenvolverem em outras partes do cérebro.

Porém, não era claro se esse dano realmente causava o declínio no olfato de uma pessoa, da mesma forma que provoca problemas na memória.

Por isso, decidiram analisar as alterações no cérebro que se relacionam à perda olfativa e à função cognitiva de uma pessoa ao longo do tempo e comparar com os relatos dos participantes.

Agora, eles acreditam que testes simples de olfato em clínicas podem ser utilizados de maneira semelhante aos de visão e de audição para indicar suspeitas de demência precoce.

Texto: Vinícius Brandão
Revisão: Geraldo Campos Jr
Design: Adriana Rios
Imagens: Shutterstock, Tenor e Unsplash

+ Bem-estar e saúde

Veja 5 sinais
iniciais de
Alzheimer para
ficar atento

 [ Próximo ] 

Clique aqui