Pets no Calor

proteja seu amigo!

Os dias mais quentes oferecem desconfortos para os pets assim como para os humanos. É preciso ficar atento aos sinais do seu bichinho para ajudá-lo a aliviar o calor.

Como os animais não apresentam glândulas sudoríparas para liberar o calor, é fundamental oferecer outras alternativas para diminuir a temperatura corporal dos pets.

Uma das principais formas de cães e gatos regularem sua temperatura interna é com a respiração ofegante com a língua pra fora. Se o bichinho passar muito tempo assim, o calor pode estar incomodando.

Outros sinais são o seu pet procurar por lugares mais frescos, deitar esparramado em superfícies geladas e passar a beber água com mais frequência.

Animais muito peludos podem se beneficiar de uma tosa nos meses mais quentes, com cuidado para não expor demais a pele do bichinho: o pelo também serve como isolante térmico.

Outra alternativa é aumentar a frequência de banhos dos bichinhos. No caso dos gatos, que não devem tomar banhos frequentes, a escovação diária ajuda a manter o pelo saudável.

Evite passear com seu pet em horários muito quentes, entre as 10h e 17h: além do calor, a temperatura elevada do chão pode lesionar as patinhas do animal.

A hidratação correta é fundamental para manter a saúde no calor. Por isso, aumente a disponibilidade de água fresca para seu bichinho. Vale até adicionar cubinhos de gelo aos vasilhames.

Ofereça a alimentação do pet em horários mais frescos, em que eles se sentem mais confortáveis para comer. Alguns petshops contam com opções de sachês e petiscos que podem ser oferecidos gelados.

Evite o uso de roupinhas e acessórios além da coleira com identificação do animal - cobrir o corpo do bichinho só fará com que ele sinta mais calor.

Roteiro e Design: Diana Klippel
Imagens: Unsplash